Título Algo infiel — corpo performance tradução
Autores Guilherme Gontijo Flores e Rodrigo Tadeu Gonçalves
Fotografias Rafael Dabul
Ano 2017 | 1ª edição — coedição com Cultura e Barbárie
Nº de páginas 368
Dimensões 14x21cm 
ISBN 9788563003683
Preço de capa 50,00
Compre em uma livraria parceira ou encomendo através do vendas@n-1edicoes.org
Guilherme Gontijo Flores e Rodrigo Tadeu Gonçalves apresentam uma coleção de ensaios sobre a relação entre palavra e performance, corpo e poesia. O viés escolhido passa pela inspiração xamânica mas também pelo pós-estruturalismo, sempre pensando na tradução como método de leitura, compreensão, e exercício criativo. Um acréscimo fundamental à literatura dos estudos da tradução no Brasil."
— Caetano W. Galindo e Sandra M. Stroparo

O que acontece quando se passa a considerar o texto como firmemente ancorado em seu momento, não de escrita, mas de realização? O que acontece quando consideramos a gravação de uma canção de Nina Simone como objeto de leitura, de análise e, por que não, de tradução? E o que pensar da tradução orientada para sua realização, novamente, em performance? Em ato vivo, ele próprio irrepetível tanto quanto o original em que se baseia, considerado agora não apenas como fato performático, mas também como dado performativo, como criador de um momento, um recorte no tempo que, por estar cravado no tempo e no momento, não pode ser novamente dado a ver, a não ser através de um novo ato, uma nova criação. Como falar da palavra enunciada como magia, como efetivo criador de realidade?
Neste Algo infiel, é ancorando a letra na voz, o som no corpo, o poema na sua realização como ato pleno, que Guilherme Gontijo Flores e Rodrigo Tadeu Gonçalves produzem uma sucessão de ensaios que individualmente já configuram uma contribuição originalíssima, cuja interconexão — entre si e também com as fotos de Rafael Dabul — cria sentidos ainda mais profundos. O resultado é uma espécie de constelação ensaística que tenta repensar o lugar da tradução, do tradutor e do texto traduzido num mundo agora de feitos e feitiços, de sentidos e sentidos, de criadores, criações e criaturas.
Guilherme Gontijo Flores (Brasília, 1984) é poeta, tradutor e professor na UPFR. Publicou os livros de poemas brasa enganosa [2013], Tróiades [2014-2015], e l’azur Blasé [2016]. Como tradutor, publicou, dentre outros, A anatomia da melancolia de Robert Burton (2011-2013, 4 vols.), Elegias de Sexto Propércio [2014] e Safo: fragmentos completos [2017]. É coeditor da antologia Por que calar nossos amores? Poesia homerótica romana [2017], além de cofundador e coeditor da revista e blog Escamandro. É membro fundador do grupo de performace tradutória Pecora Loca. 

Rodrigo Tadeu Gonçalves (Jaú, 1981) é professor na UFPR com graduação, mestrado e doutorado pela mesma instituição, com estágio pós-doutoral no Centre Léon Robin em Paris. Atualmente é vice-diretor da Editora UFPR e Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Publicou em 2015 o livro Performative Plautus: Sophistics, Metatherater and Translation e organizou a obra A Comédia e seus duplos: o Anfitrião de Plauto, publicada em 2017. Como tradutor, publicou um Pequeno Príncipe [2015] e participou da tradução coletiva do Paraíso Reconquistado de John Milton [2014]. Trabalha atualmente em uma tradução integral hexamétrica do De Rerum Natura de Lucrécio. É membro fundador do grupo de performace tradutória Pecora Loca. 

Rafael Dabul (Curitiba, 1977) é fotografo graduado em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda pela PUC-PR, pós graduado em Comunicação e Cultura: Interfaces pela Universidade Positivo e mestre em artes pela Academy of Art University de São Francisco, Estados Unidos. Atua na área de fotografia comercial e editorial e participa de projetos culturais com artistas plásticos de Curitiba.
Back to Top